marisa

linha

confraria

 

Artigos

Aprendendo

Fernando era um homem sedutor, dentes brancos e perfeitos e os olhos do céu nas tardes de verão. Cativante, com uma conversa interessante e aparentemente experiente e vivido.
Tinha conhecido ele casualmente numa reunião de trabalho, ela não lhe deu especial atenção, mas ele começou a ligar com argumentos estritamente profissionais.
Não saberia falar como o envolvimento aconteceu,mas a proximidade foi dando a relação uma coloração diferente.
Fernando estava sempre ocupado, dava a sensação de que sua vida era transbordante de coisas importantíssimas e que ela ficava para um dia o uma circunstância em que sobrava um tempinho.
Esperava os encontros ansiosamente, se preparava e mudava qualquer compromisso,
Mas Fernando nunca estava realmente com ela, falava ao telefone, organizava reuniões e parecia que sempre estava posando para alguma lente de televisão escondida.
Ao mesmo tempo em que ia se envolvendo percebia que a troca era desigual. Ele nunca tinha vontade de encontra-la distante, frio e com ar de superioridade.
Vou te ligar amanhá prometia, aparecia vinte dias depois como se nada tivesse acontecido.
Começou achar que tinha algo errado no investimento, nos propósitos e nos sonhos mas ele a convenceu de que não passavam de loucuras da sua cabeça, percepções erradas. –E ela acreditou!!!
- Deve ser minha carência, o momento de vida difícil....
Todos os argumentos justificavam a dificuldade de amar do parceiro que ela claramente percebia mas se negava á admitir.
Um dia ele ligou convidando-a para um evento, tinha comprado ás entradas e assistiriam ao espetáculo de balé que ela gostava.
Se sintiú muito lisonjeada e pensou que as coisas poderiam mudar e de fato mudaram.
Chegou no teatro dez minutos antes, preparada, maquiada e perfumada, Fernando já estava no local e para sua surpresa acompanhado da namorada..
No começo o sentimento foi de perplexidade, pensou que era brincadeira, não entendia nada, ele apresentou “a outra” como se nada tivesse acontecido.
Uma raiva intensa a invadiu, um ódio profundo, uma humilhação infinita, e entendeu tudo, suas percepções, suas desconfiança
- Porque não acreditou nela? Porque não confio no seu termômetro, todas as vezes que quis separar de Fernando e ele a convencia de ficar numa relação desgastante.
Não sabia se a raiva era dele ou dela por ter permanecido esse tempo todo sintíndo-se desrespeitada e sem reagir.Permitiu o abuso e a manipulação em nome de um suposto amor pelo outro.
O tempo passou e o que foi um impacto e um dor intensa foi perdendo força e dando lugar a outros entendimentos e elaborações.
Naquele fim de tarde saía do supermercado atarefada, tinha visitas em casa e se preparava para receber os amigos com esmero.
Alguém empujou o carrinho da compra na sua frente e ela quase caiu com um monte de pacotes. Virou-se para protestar
Sua surpresa foi enorme....Era Fernando..e como sempre...perfumado, arrogante, triunfante na vida, de mãos dadas com uma moça e é claro falando ao telefone e resolvendo assuntos importantíssimos.
-Como você vai? Esta linda? Vamos nos encontrar?falou sedutor
-Estou bem obrigada, e já estou de saída.
-Podemos nos encontrar amanhá insitiu, sem largar a mão da moça.
-Obrigada Fernando, mas agora quem está muito ocupada sou eu.
-fazendo o que? Retrucou .
Era um homem que não gostava de perder e menos para uma mulher.
-Estou construindo a vida, e formando uma família.
O silêncio foi absoluto.
Pegou o carinho das compras e saiu na frente sem olhar para trás.
Em casa a esperava Guilherme, um homem simples, sóbrio, sereno, que a fazia sentir amada, que a escutava com atenção e a estimulava no seu trabalho, era alguém para quem sua presença era prioridade.
Estava grávida de três meses e se preparava para o grande desafio da maternidade.
Voltou do supermercado pensando, não guardava magua, pelo contrário, tinha muito que agradecer ao Fernando, foi um aprendizado importante sobre os afetos e sobre ela mesma, se sentia livre e sem ressentimentos.
-Você esta diferente Perguntou Guilherme,
- Aconteceu alguma coisa?
-Aconteceu sim, recuperei um pedaço da minha historia, entendi que para algumas pessoas é difícil amar, não porque não querem senão porque não podem.
- mas tudo isso você encontrou no supermercado? Da próxima vez vou com você. Guilherme sorriu maroto e ela se aconchegou nele.

Marisa Sanabria